Luiz Alexandre Wagner
Por Luiz Alexandre Wagner em 07 de Julho de 2022

Growth-Driven design: criação diferenciada de site

Nem só de redes sociais, lives e anúncios é feita uma boa presença na online. Os sites, apesar de serem uma das soluções digitais mais antigas, ainda são uma das ferramentas tecnológicas indispensáveis para qualquer negócio. Mas assim como qualquer outra coisa na vida, também para o site o tempo passa. E é preciso atualizar versões antigas que não respondem mais às necessidades. É aí que uma nova metodologia, a Growth-Driven Design (GDD), chega para salvar o dia.

Sem dor de cabeça com o Growth-Driven Design

Pouco atraente, sem responsividade, linguagem e conteúdo desatualizados, design ultrapassado. E cada vez menos resultados. Esses são os problemas mais comuns e que geralmente dão dor de cabeça. A troca de site costuma ser uma coisa complicada, cara e que nem sempre corresponde à expectativa.

Mas não tem jeito, essa troca não deve ser adiada por muito tempo, porque os problemas só pioram. Afinal, sempre que um site é criado ele tem um objetivo  alinhado com aquele momento da empresa.

Só que quando os negócios evoluem, o site precisa evoluir junto. Então se no início a ideia era usar o site para atrair novos clientes, a nutrição de leads pode ser a melhor estratégia para a marca em um estágio mais consolidado no mercado.

A boa notícia é que não precisa mais ser feito tudo de uma só vez. O que o Growth-Driven Design propõe é justamente um desenvolvimento gradual do site em vez de fazer uma reformulação completa ciclicamente de acordo com as tendências do mercado.

 

Mas como funciona o Growth-Driven Design?

A verdade é que o Growth-Driven está revolucionando o redesign de sites. E é fácil entender porquê quando você conhece a proposta: manter a aparência renovada e a codificação atualizada e otimizada, gerando uma melhoria constante. Ou seja, o site está sempre em transformação, respondendo às necessidades de cada fase da sua empresa e das principais tendências do mercado.

Claro que a ideia é ótima também para quem vai fazer seu primeiro site, já criando uma estrutura que se adapta com o tempo. Afinal, a interação com o cliente é a palavra-chave para o sucesso de qualquer site.

Para isso, o Growth-Driven Design desenvolve o site gradualmente, focando em novos recursos e funcionalidades para os usuários. As páginas ficam limpas, intuitivas, atualizadas e modernas, gerando muito mais resultados.

Para conseguir isso, o Growth-Drive parte de três princípios básicos:

Redução de riscos - Esse redesign gradual implica em ciclos menos de tempo e de verba, reduzindo os riscos para sua empresa.

Aprendizado e aprimoramento - O site está sempre em evolução. A equipe de desenvolvimento usa os dados coletados em seu site para fazer ajustes estratégicos.

Informações que vendem - As informações coletadas também servem de base para a equipe de vendas criar insights poderosos, impulsionando resultados.

 

Conheça as fases de implantação do GDD

O Growth-Driven Design cumpre duas fases de implantação.

Primeira fase

A primeira delas dura em torno de 40 dias e é composta por três etapas:

 

Planejamento de estratégia

Nessa etapa são definidas as metas e objetivos tendo como base as byers personas e pesquisas quantitativas e qualitativas.

 

Lista de desejos

É a etapa do brainstorm para definir quais são as páginas e conteúdos mais interessantes para o site, assim como ferramentas, recursos, enfim, tudo o que pode encantar os usuários.

 

Launchpad

É o lançamento imediato de uma versão simples do novo site, porém limpa e robusta de forma que possa receber melhorias. Após a segunda fase será implantado o restante.

 

Segunda fase

Dura de oito a 11 meses e é composta por quatro etapas. Depois disso o ciclo é reiniciado mensalmente.

Planejamento - (2) Desenvolvimento - (3) Aprendizado - (4) Compartilhamento - (1) Planejamento

 

Vantagens de investir em Growth-Driven Design

A metodologia do Growth-Driven Design traz vários benefícios para a sua empresa.

  • O tempo de desenvolvimento é contínuo. Um redesign tradicional leva em torno de três meses para ficar pronto, mas em média deve ser refeito a cada dois ou três anos. O Growth-Driven trabalha com ciclos de oito semanas, mantendo o site constantemente atualizado e a vitrine digital sempre atraente;
  • Os custos são menores e mais espaçados, escalonando os investimentos. Em média, o investimento inicial em GDD corresponde a menos da metade do necessário nos métodos tradicionais. E o custo mensal é baixo e muito satisfatório;
  • A metodologia trabalha com o foco em resultados porque opera em função das byers personas. Assim, todas as ações são baseadas no comportamento dos clientes;
  • A atualização constante do site o torna mais fácil de ser encontrado pelos motores de busca, já que a estratégia de SEO também é atualizada;
  • Gera mais engajamento por apresentar menos distrações e mais conteúdo relevante.

Já conhecia a metodologia Growth-Driven Design? No Blog da Labra você está sempre por dentro das principais notícias e as últimas novidades em marketing digital!

Estrategias-que-podem-ajudar-sua-empresa-a-crescer

 

Publicado por Luiz Alexandre Wagner 7 de Julho de 2022
Luiz Alexandre Wagner

Assine nossa newsletter!